Considerações sobre Música e Desenvolvimento Infantil

A infância é momento de internalizar e sensibilizar para os conhecimentos diversos. A música, que abrange vários aspectos do desenvolvimento humano, deve começar a ser trabalhada desde cedo para que vá se criando o universo do conhecimento musical do sujeito. Esse conhecimento se dá na sala de aula, de maneira sistemática, através dos objetivos traçados pelo professor, além do conhecimento vindo das experiências cotidianas do senso comum.

Desde que a música passou a ser componente curricular obrigatório, muito se especula e tem se falado sobre Educação Musical. Afinal, o que é educar musicalmente e como se dá esse processo?

A importância da música do desenvolvimento infantil A falta de compreensão sobre os conteúdos e a metodologia referente a educação musical tem dificultado muito a realização das práticas musicais na sala de aula e até mesmo representa a dificuldade em justificar a sua presença na escola.

A Educação Musical serve para auxiliar o sujeito a alcançar a compreensão da música enquanto linguagem, e para isso utiliza-se a execução, que é o seu fazer musical, e a apreciação, por exemplo. Dessa forma, conseguimos alcançar vários estágios e contribuir no seu desenvolvimento musical.

A etapa mais importante da Educação Musical, e considerada primeira, é a da Musicalização, que não é apenas um trabalho a ser desenvolvido com crianças. Musicalização é o processo de formação do conhecimento musical, cujo objetivo é desenvolver o gosto pela música, estimulando e contribuindo para o processo global da formação do ser humano.

O espaço das aulas de Música deve oportunizar a experiência musical, desenvolvendo a musicalidade e a corporeidade, através de jogos e brincadeiras a fim de desenvolver e compreender os elementos musicais; reconhecer a música como forma de linguagem, expressando-se musicalmente; desenvolver a acuidade auditiva, que leva a discriminar diferentes eventos sonoros e parâmetros, como altura, duração, intensidade, timbre, e também sons da natureza. Também é interessante a confecção de instrumentos musicais, pois faz-se necessária a pesquisa sonora, que desperta para a acuidade auditiva. Todas essas atividades devem ser realizadas de acordo com a etapa do desenvolvimento infantil, que é dividida em três estágios:

  • Dos zero aos dois anos: os conteúdos devem favorecer a improvisação e dar condições para o contato e a vivência musical, criando assim, o universo musical da criança.
  • Dos três aos seis anos: é importante que o professor desperte o interesse auditivo através de atividades de exploração de sons do ambiente e da natureza, no produzir os sons e distingui-los, desenvolvendo a apreciação e o fazer musical, confeccionando instrumentos musicais.
  • Dos sete aos doze anos: período para realizar atividades e brincadeiras musicais de grupo, onde cooperação, competência social e responsabilidade são exigidas. Nesse estágio, a apreciação musical deve privilegiar a música erudita e a música brasileira e regional.

Esses conteúdos devem ser trabalhados através de atividades lúdicas, jogos e brincadeiras musicais, uma vez que deve-se ensinar musica ‘musicalmente’, como afirma Keith Swanwick. O trabalho com a educação musical deve ser prazeroso assim como é a música. Também são exemplos de atividades que podem ser trabalhadas nesse sentido, como as cantigas de roda, danças circulares, pequenas composições, apreciação musical de diversos instrumentos, atividades de exploração corporal, danças.

Durante o processo de conhecimento e contato com a música, passa-se por quatro estágios para a aquisição do conceito, que são eles, o estágio material, o estágio da expressão, o estágio da forma e o estágio do valor. No primeiro momento, a criança explora e é fascinada pelo som, procura identificar instrumentos musicais convencionais sem se preocupar com a técnica. No segundo estágio, já consegue expressar-se criando figuras rítmicas. No terceiro, há interligação com estilos conhecidos e controle de pulso. E por fim, o estágio de consciência efetiva da música, já para pessoas desenvolvidas musicalmente.

A música é importante para o desenvolvimento infantil, principalmente por despertar para a sensibilidade – que a atual sociedade deixa cada dia mais de lado – e criar uma sociedade de bons ouvintes, que compreende o que ouve e que assim, transforme a nossa cultura numa mais refinada, de pessoas conscientes sobre o mundo em que vivem.

Rosana Gazola é formada em História e especialista em Música e Musicalidade. Dá aulas de Arte e História para Ensino Fundamental I e II em escolas de rede privada.

Você quer as dicas mais TOP para passar no ENEM
e conquistar sua vaga na Universidade?
Receba por e-mail dicas grátis do prof. André Gazola
Bom trabalho!
Verifique seu e-mail já
Fechar

Técnicas de Redação em seu E-mail!
Junte-se a mais de 20 mil alunos e receba conteúdos grátis para ajudá-lo no ENEM.

Não, obrigado. Nunca cometo erros de escrita.